terça-feira, 1 de julho de 2014

Pactos clamuflados e sacríficios de sangue


  Os elementais são tão fascinantes que muitas pessoas sonham em ser como eles. Seria demais ser eternamente belo, jovem, poderoso e viver entre as fadas, não seria? Imagino que sim. Muita gente me pergunta como fazer para se tornar um elemental. Eu disse que isso não era possível, a menos é claro, que algum deus ou deusa o transformasse em um elemental. Os deuses são extremamente poderosos e, por terem criado o que eu chamo de "novos elementais", eles podem dar imortalidade a um humano. Claro que isso não acontece do dia pra noite e nem sai de graça! 
  O deus grego Apolo, certa vez, se apaixonou por uma bela e jovem mortal e os dois decidiram viver juntos no palácio dourado do deus do sol. Ele estava tão apaixonado que deu a imortalidade a sua amada. Porém, se esqueceu de dar a ela a eterna juventude. Os anos passaram-se e a bela jovem envelheceu. Como ela era imortal, apesar de muito velhinha, não morreu. Sendo Apolo, amante da beleza, não podia amar uma velhinha (é, o amor morre um dia...). Então, ele a abandonou e se esqueceu dela. 
   O belo mortal Endimião (um dos inúmeros filhos bastardos de Zeus) se apaixonou por Selene, a deusa da lua. Zeus concedeu imortalidade ao rapaz, mas sendo Zeus um péssimo pai (sim, porque um pai que violenta as próprias filhas não pode ser considerado o pai do ano), decidiu trapacear e pediu ao deus do sono, Hipnos, que fizesse o jovem Endimião dormir para sempre. Hera se apiedou de Endimião e sem que Zeus soubesse, ela foi até Hipnos e pediu que ele concedesse que Endimião dormisse de olhos abertos e ainda respondesse aos estímulos externos. E assim foi. Mesmo dormindo, Selene podia vir ao encontro dele e, assim os dois puderam viver seu amor impossível. Houve vários casos semelhantes na mitologia. Eu leio muita coisa, então é meio difícil para mim memorizar nomes. Mas houve também um caso em que uma mulher e seu filho foram transformados em seres do mar (assim que eu encontrar essa história, prometo que posto em Deleite Das Ninfas ) por um deus que teria se apiedado de seu final trágico.
     Como vimos, os deuses podem transformar um ser humano comum em um ser encantado e imortal. Mas isso, em casos especiais. E mesmo assim há um preço há pagar. Entendam que nada nessa vida é de graça. Mesmo Jeová não faz milagre sem receber nada em troca. Embora muita gente não perceba, ele é um deus exigente e pede que renunciemos a muitas coisas em troca da obtenção de seus favores. Até os anjos querem incensos, velas e cristais. Pois é... Acho bom você quebrar o seu cofrinho e gastar suas economias. Mas isso, apenas se desejar favores "pequenos" como uma promoção ou um namorado ou o sumiço de uma pessoa muita chata que fica te enviando emails idiotas. Agora, se você deseja algo grande como a morte de alguém, fama e riqueza ou mesmo a imortalidade, é melhor pensar grande... Qual seria o sacrifício à altura de seu pedido? Não estou falando em vender a sua alma ou matar uma virgem, mas é mais ou menos isso que eles (os deuses) podem te pedir. Vejamos, antigamente, sacrifícios de sangue não eram incomuns. Sacrificava-se pessoas ou certos animais para grandes pedidos. 

   No início, ser escolhido como sacrifício para agradar a um determinado deus ou deusa era uma honra! Isso mesmo, uma honra! Acreditava-se que os deuses acolheriam a alma da pessoa oferecida como sacrifício e a levariam para os Campos Elísios, ou qual quer que fosse o que eles chamavam de "Paraíso". Mas, logo veio a bendita religião católica e fez as pessoas acreditarem que, na verdade, estavam entregando sua alma ao demônio. Isso assustou as pessoas, mas não intimidou os praticantes de magia negra, que, passaram a raptar e matar pessoas. As mulheres e as crianças eram alvo fácil. Por culpa desses patifes, sobrou para todas as bruxas (mesmo as wiccas) e muita gente foi para a fogueira. Se bem que naquela época, você poderia ir para a fogueira por qualquer motivo tolo. As pessoas sempre tiveram sede de sangue. Acho que herdamos isso da face mais obscura dos deuses. Quando matar pessoas (mesmo a vítima concordando com isso) se tornou algo arriscado e errado, sobrou para os animais. Para Hermes, podia-se sacrificar uma tartaruga, para Hécate, um cão negro e, assim por diante. As pessoas que cometiam sacrifícios pelos deuses eram possuidoras de muito conhecimento e poder. E, os que não eram suficientemente idiotas e mantinham suas práticas em segredos, eram grandes bruxos. Não é à toa e sem fundamento que diziam que bruxas podiam voar, ficar invisíveis e até mesmo se transformarem em animais. "Grandes sacrifícios, grandes recompensas". Quem sacrificasse animais poderia alterar a sua forma, transformando-se em animais. E seus poderes seriam os mesmos atribuídos simbolicamente àquele animal. Mas isso era antes! Muita coisa mudou e, hoje, os deuses já não recebem sacrifícios. Eles tiveram de se contentar com velas, incensos e pequenas oferendas. Somente os praticantes de magia negra realizam sacrifícios. Eu sigo a magia branca, contrariando muitos membros da minha família que seguem a magia negra. Eles não são satanistas, mas beiram isso. Qualquer hora, eu explico a vocês que sentem curiosidade em saber como a magia negra funciona. Nem sempre tem haver com satã. Acredite!
     E voltando ao assunto, o sacrifício é uma coisa que gera muita polêmica entre os bruxos wiccanos. Eles são contra o sacrifício! Eu também considero desnecessário tanta matança. Os animais são tão fofos e indefesos. Temos de protegê-los. Especialmente os animais negros e brancos que são os preferidos pelos magistas que ainda praticam sacrifício de sangue.
   A internet está cheia desses feitiços bobos - que parecem ter sido retirados de livros infantis - que supostamente transformam alguém em fada ou vampiro. Isso é pura enganação! Ou você nasce como um elemental ou tenta fazer um trato direto com um deus para ver se ele transforma ou não você. Quanto a esses rituais que prometem transformar você em vampiro são pactos disfarçados. Eu falo como a bruxa que sou. Eu conheço e as bruxas da minha família também. Você faz o bendito ritual e parece que ele não dá certo. Ou pior, você começa a ver e ouvir coisas. Tem pesadelos constantes e etc. Depois que você morre, o diabo (ele existe sim!) vem buscar você e então, você percebe que se fudeu feio! Sendo a alma imortal, você não pode ficar para sempre no inferno. Mas, acredite você pode ficar lá por mais de 80 anos e isso vai parecer uma eternidade. 
    Fiz esse post com o intuito de alertar vocês que esses rituais que rolam pela internet são barra pesada. Me faz pensar que talvez seja obra de algum satanista que só quer ferrar quantos trouxas puder. Vocês vivem me perguntando se meus rituais não são como os deles, eu digo que não! Sempre tem como saber se um ritual é do bem ou do mal e é fácil descobrir isso. Preste atenção nas palavras a serem ditas durante o feitiço. A quem elas são direcionadas. A maioria das palavras usadas em feitiços contém o nome da entidade e nesse nome que você deve prestar atenção. Se você achou um ritual que envolve o nome "Archiri" , por exemplo, antes de sair invocando essa entidade que você não tem noção do que é,  escreva esse mesmo nome no campo de pesquisa do google e descubra de quem realmente se trata. Archiri seria o demônio do medo, que toma a forma de uma garotinha. Pense nela como a Lili do filme Caso 39. A melhor forma de você não se dar mal e não invocar seres demoníacos é estudando mais sobre elementais, deuses, anjos e mesmo demônios. Ler sobre eles não vai tirar pedaço e vai te ajudar a reconhecer seus nomes em futuros feitiços , invocações e rituais que possam envolver seus nomes. 
   Para que um feitiço sirva para invocar uma entidade maligna, ele precisa conter os elementos dessa entidade e o principal, o nome dessa entidade nas palavras a serem ditas pelo bruxo. Mas mascarar um feitiço de demônios e fazê-lo parecer um feitiço que atrai anjos ou elfos é coisa para profissional, para sacerdote (e eu nem sou iniciada ainda). Como incluir a palavra "Lilith" em ritual sem chamar a atenção das pessoas. Porque, graças a série Sobrenatural, até o Debby e o Loyd sabem quem é Lilith. Os praticantes de magia negra são espertos e podem disfarçar o nome da deusa: Lilith= Lili=Ilith e quantas outras formas eles conseguirem derivar desse nome. Inverter um nome como Lúcifer ou Lilith é o mais comum. Eles pegam as letras do nome Lilith e mexem aqui e ali e criam outros outros. Vou dar um exemplo, usando o meu nome: Daniele. Das letras D+A+N+i+E+L+E  podemos formar novos nomes como Daniel, Niele e Elen. É isso que eles fazem com os nomes dos demônios. Mas como saber que um dos meus rituais não poderia ser assim, uma armadilha? Reparando nos elementos do ritual. Um ritual com fadas nunca pediria velas pretas ou negras (a não ser no caso de Badb e Morrigan que são deusas da guerra), sangue ou penas de coruja. Esses são elementos ligados à Lilith. Antes de fazer um ritual com que envolva qualquer elemental, pesquise sobre as correspondências desse elemento, quais as cores das velas, as essências e os nomes das principais criaturas que se destacam nesse elemento. No caso das fadas, as mais populares são Dana, Badb, Morrigan e Leanan Sidhe. Feitiços com fadas envolvem rimas, flores e frutas. Já os demoníacos sempre são mais macabros e pedem coisas suspeitas como sangue, por exemplo.
   É isso. Tomem cuidado e tirem essas ideias bobas de se tornarem fadas e vampiros da cabeça. Esses seres só nos amam porque somos humanos. A partir do momento em que perdermos nossa humanidade, eles vão deixar de nos achar tão fascinantes e vice-versa.©

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...