sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Banshee, a mensageira da morte


Fada Fadada

Fada ferida,
Fada sofrida,
Fadada a fadar,
sem nunca falar,
Nunca confessar,
a dor que traz em seu peito,
a agonia que todas as noites
tenta jazer em seu leito.

As lágrimas são infinitas,
recusam-se a cessar.
E a pobre fada,
fadada a fadar
já não tem forças para lutar.
Prefere se entregar ao enfado,
À dor que a consome desde sempre.

A fada fadada está a chorar
a morte de alguém, enquanto
lava suas roupas manchadas de sangue.

Ela não é má.
É amaldiçoada.
Ninguém conhece o seu terrível segredo
e todos temem desvendá-lo.

A fada fadada continua a se lamentar,
por ele, por ela, por ambos.
Pela dor dos que o amam e
pela dor de ser sua mensageira negra,
a incompreendida banshee,
que todos condenam injustamente.
Ela não traz a morte,
como muitos pensam,
traz apenas a triste mensagem,
e é por isso que chora.

Autora: Giovanna Lynn



Banshee


 As Banshees provêm da família das fadas, e são a forma mais obscura delas.
Quando alguém avistava uma banshee sabia logo que seu fim estava próximo. Os dias restantes de sua vida podiam ser contados pelos gritos da Banshee. Cada grito era um dia de vida e, se apenas um grito fosse ouvido, naquela mesma noite a pessoa estaria morta.
  Tradicionalmente, quando uma pessoa de uma aldeia morria, uma mulher era designada para chorar no funeral.  Quando o membro de uma família morria longe de sua terra, o gemido da banshee seria o primeiro aviso da morte.
   Também dizem que essas fadas, na verdade, seriam fantasmas, talvez o espírito de uma mulher assassinada ou que morreu ao nascer.
  Na Irlanda, acredita-se que aqueles que possuem o dom da música  e do canto, são protegidos por espíritos; um o Espírito da vida, que é profecia, cujas pessoas são chamadas Fey e têm o dom da visão; o outro, o Espírito maldição que revela os segredos da má sorte e da morte, e para essa trágica mensageira o nome é banshee.
  Sejam quais forem suas origens, as banshees aparecem principalmente sob um dos três disfarces: uma jovem, uma mulher ou uma pessoa esfarrapada. Isso representa o aspecto tríplice da deusa celta da guerra e da morte, chamada Badhbh, Macha e Morrigan.  Ela normalmente usa uma capa com capuz cinza, ou uma roupa esvoaçante ou ainda uma mortalha. Ela também pode surgir como uma lavadeira e é vista lavando roupas sujas de sangue daqueles que irão morrer. Nesse disfarce ela é conhecida como Bean-nighe ( a lavadeira). Segundo a mitologia celta, também pode aparecer na forma de uma bela e jovem mulher, ou uma velha repugnante. Qualquer que seja a forma, porém, sua face é sempre muito pálida como a morte, e seus cabelos por vezes são negros como a noite ou ruivos.
  O gemido da banshee é um som especialmente triste que parece o som melancólico do uivo do vento e tem o tom da voz humana, além de ser audível a grande distância. Embora, nem sempre seja vista, seu gemido é ouvido, usualmente a noite, quando alguém está prestes a morrer.
   Em algumas partes de Leinster, se referem a elas como Bean chaointe, cujo lamento podia ser tão agudo que quebrava os vidros.
  A banshee também pode aparecer nas formas de um corvo, um arminho, uma lebre ou uma doninha - animais associados, na Irlanda à bruxaria.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...